O mundo de Davi

Foto: Isabel Dall’Agnol

Davi não entendia bem o que estava acontecendo, mas também não era bobo.

O mundo havia parado. Ele sabia disso. Os seus pais quase não saíam mais de casa. Quando ousavam colocar o pé na rua, disfarçavam-se. Como se as pessoas não fossem reconhecer a sua mãe ou o seu pai atrás daquelas máscaras. Os adultos têm cada uma…

A TV, tantas vezes proibida no passado, agora era a sua maior companhia. Seus pais chegavam a insistir para ele ir para a frente do aparelho. Mas ela tinha se tornado chata. Resolveu fazer com o aparato o mesmo que haviam feito com o mundo: colocou no “pause”.

Na varanda, com os olhinhos curiosos da infância, ele capturou a presença de blocos de montar. Contemplando cada pecinha, decidiu reinventar o mundo. O telhado serviria agora de base, as janelas seriam colocadas de ponta-cabeça, as pontes virariam pistas de skate. Tudo ganhava uma nova função.

Foi tomado de súbito por uma imensa alegria. Abriu um daqueles sorrisos gostosos em que a graça a gente nem sabe onde está. “Eureca”, ele teria gritado se soubesse o que isso significa. Mas epifania é coisa de adulto, então Davi só seguiu brincando.

O mundo continuou o mesmo. Mas o seu. Não o de Davi.


Texto inspirado em uma foto de Isabel Dall’Agnol como parte do desafio de novembro de 2020 do PáginaDois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s